Pagamentos Online – Quais os riscos?

  • risks

Neste momento, estamos no início de uma fase de importantes transformações relacionadas com os pagamentos on-line, e o nosso objetivo na Availpro é ajudar os hotéis a prever as novas tendências e prepararem-se para tirarem partido das mesmas. É por isso que vamos publicar uma série de informações no blog sobre o futuro dos pagamentos no setor hoteleiro. Para a última semana de debate sobre este tópico, o nosso CTO, Antoine Buhl, faz-lhe recomendações para tornar os pagamentos seguros para o seu hotel e para os seus clientes.
——————————————————————————————————————————
Número 4: Pagamentos Online – quais os riscos?

Não é possível falar sobre pagamentos online sem pensar em segurança e, infelizmente, a indústria hoteleira, ainda é vista como um alvo fácil pelos piratas informáticos.

A maioria dos fornecedores de soluções de segurança tenta incutir um sentimento de insegurança ao falar de todos estes horríveis piratas informáticos. De certo modo, têm alguma razão, porque ao longo dos últimos quatro ou cinco anos muitos grupos e organizações de piratas informáticos tornaram-se adeptos da nossa indústria, roubando com muita habilidade a informação dos cartões de crédito dos nossos clientes.

Com o comprometimento dos dados de cartões de crédito, nos últimos anos quase todos os principais canais internacionais sofreram pirataria informática em grande escala. A Hilton, a InterContinental e a Hyatt são alguns exemplos. Recentemente, isso também se verificou na Orbitz Travel, que perdeu 880.000 números de cartões bancários ao longo de dois anos. (fonte: BankInfo Security, 20 de março de 2018)

A fraude de pagamentos em todo o mundo atinge dezenas de milhares de milhões de dólares. E as más notícias é que está a aumentar a uma velocidade incrível. Está a aumentar por duas razões: a primeira é que os pagamentos com cartão e online, especialmente nos países asiáticos, estão a aumentar rapidamente. E no ambiente dos dispositivos móveis, a segurança é um elemento importante e muitos intervenientes simplesmente não estão preparados.

A indústria hoteleira está atrasada na sua atuação em termos de segurança e no modo como trata as informações dos cartões de crédito. Por exemplo, alguns proprietários de hotéis ainda recebem os números dos cartões de crédito por e-mail ou têm folhas de papel soltas pelo escritório com os números dos cartões de crédito rabiscados. Mas os principais cartões de crédito como o Visa e o MasterCard estão a investir na segurança para porem fim a estas práticas.

Então, como é que os proprietários de hotéis podem abordar o problema da segurança? Têm de trabalhar com fornecedoredos que tenham certificações que correspondam a pagamentos e gestão de cartões de crédito. A isto chama-se Payment Card Industry Security (PCI DSS).

Só depois poderá ser abordado o problema da elevada taxa de cancelamentos, porque até agora, as reservas podem ser feitas facilmente com cartões inválidos, que por sua vez geram cancelamentos. Depois há o problema da fraude, em que as pessoas tentam usar o cartão de outra pessoa.

Quando efetivamente há uma reserva, criada com um cartão inválido ou fraudulento, esta é uma reserva que continua a bloquear disponibilidade sendo que esta não é necessariamente reposta no mercado.

Outra solução é considerar a automatização da sua plataforma de motor de reservas, e através do seu Channel Manager das OTAs. Isto poupar-lhe-á tempo e resultará em reservas mais fiáveis e seguras, que podem otimizar a disponibilidade – dando lugar a melhores vendas.

Algumas OTAs, permitem que o cliente efetue uma reserva de forma totalmente automática. Após a reserva, recolhem os dados do cartão bancário e enviam-lhe esta informação. Na Availpro também temos uma solução que quando o seu cliente faz uma reserva no Booking.com, permitimos automaticamente que o channel manager aceda ás informações do cartão de crédito do cliente, que serão então enviadas para uma plataforma de pagamento.

No caso de uma reserva com pré-pagamento, esta plataforma de pagamento debita imediatamente o cartão de crédito do cliente. No caso de uma reserva sem pré-pagamento, faz a verificação do cartão. No fim da cadeia, integra o pagamento no PMS ou envia-lho diretamente.

O modo como o seu hotel trabalha com os pagamentos é algo importante a considerar (Tirar o maior partido dos pagamentos através de dispositivos móveis) quando se lida com o risco, caso opte por uma plataforma de pagamentos.

Com a plataforma de pagamentos, o processo de reclamação de um pagamento (por parte de um cliente) funciona de forma simples: o cliente disputa o pagamento com o respetivo banco, que quase sempre devolve o pagamento automaticamente. De seguida, o banco cobra à entidade cobradora o montante debitado, e assim o dinheiro faz o percusro inverso, voltanto ao cliente. Por isso é a entidade cobradora quem controla o processo de disputa, denominado “Devolução do débito”.

Mas no caso do mecanismo do gateway, qualquer gestão de disputa cabe ao seu banco e a sua propriedade.

Trabalhamos com vários prestadores de serviços de pagamento como a PayPal, Ogone, 3C, Saferpay, etc. que automatizam todos os meios de pagamento.

 


Para obter mais informações acerca de soluções de pagamento automatizadas, pode verificar a nossa infografia Conexão PSP aqui ou ler a totalidade dos artigos:

 

 

Antoine-Buhl Antoine Buhl – Chief Technology Officer – Availpro

Tornei-me empresário quando terminei a minha formação académica e ajudei a lançar várias start-ups, incluindo a Hypnotizer (streaming de vídeo) e a PixVillage (partilha de imagens entre pares). Entrei para a Availpro para desenvolver as duas plataformas e produtos. Tenho uma paixão pela criação de apps inovadoras e os processos que as conduzem ao sucesso

Categorias